terça-feira, 23 de setembro de 2014

Pena que o Brasil conquista títulos e a Inglaterra não

O futebol inglês é um do mais organizados do mundo, se não for "o" mais organizado, no entanto, isso não tem se refletido em títulos para a seleção inglesa, o que acho uma pena, pois isso só deixaria mais claro como a organização e profissionalismo refletem em bons resultados para a seleção de um país. Por outro lado, o Brasil, apesar da CBF, segue vencendo torneios internacionais.

É inegável o fortalecimento da Liga Inglesa e suas equipes apos a formação da Premiership nos anos 90, podemos ver, por exemplo, que mesmo as equipes de segunda divisão possuem administração e até estádios melhores que os clubes da primeira divisão de muitos países, inclusive do Brasil. Hoje podemos dizer que temos bom estádios, mas isso só deve, claro, à Copa do Mundo, e não ao empenho da CBF e seus clubes filiados.

Vamos voltar a falar de seleções. Ainda bem que a Copa do Mundo 2014, no Brasil, foi vencida pela Alemanha, pois seria terrível para o nosso próprio futebol se o Brasil levantasse o caneco, nos daria uma falsa ilusão de que está tudo bem. Aliás, um dos maiores lamentos que tenho em relação à seleção brasileira foi o título de 2002. Naquela época eu já discordava de muita coisa da CBF e da não convocação de Romário. No fim das contas, o Brasil ganhou e tudo "estava uma maravilha".

Se tanto ressaltamos o futebol alemão, também seria justo enaltecer os esforços do futebol inglês.. Mas a seleção inglesa insiste em fracassar nos torneios internacionais. Vale lembrar que em 2008 sequer se classificou para a Euro, foi eliminada no grupo que se classificaram Croácia e Rússia.

Em Copas do Mundo, a Inglaterra segue sem obter êxito contra equipes tradicionais. Já foi eliminada por Brasil, Alemanha e Argentina, sem falar de Portugal em 2006. Para piorara, nem passou da primeira fase da Copa do Mundo 2014, no Brasil.

Na Euro, a equipe também segue sem chegar, pelo menos, à semifinal. A última vez que a Inglaterra chegou à semifinal da Euro foi em 1996, quando foi sede; caiu diante da Alemanha, que conquistou o título mais tarde, nos pênaltis.

Talvez a grande sina a ser vencida pela seleção inglesa seja a de começar a conseguir vencer os times tradicionais. Para chegar a um título europeu ou mundial é inevitável ter que vencer Alemanha, Brasil, Itália, Argentina ou França, equipes que a Inglaterra não derrota nestes torneios.

Entre a CBF e a federação inglesa de futebol, eles mereciam resultados mais positivos que os nossos, mas isso não ocorre, e a CBF continua em sua redoma de vidro achando que é "o Brasil que deu certo".

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Prévia da temporada 14-15 da NHL

Este é apenas o segundo ano que faço uma prévia da principal liga de hóquei no gelo do mundo, a NHL, portanto o desafio é grande, mas a satisfação também, afinal, porque ter um blog se não for por satisfação. Falar dos trinta times da NHL é difícil, por isso, decidi realizar um levantamento daquelas que considero as principais candidatas ao título, incluindo minha equipe favorita, Montreal Canadiens.

Montreal Canadiens
Começando pelo time de Montreal, posso dizer que estou mais otimista do que na última temporada, quando o time até me surpreendeu ao eliminar o Boston Bruins, até então favoritos ao título, nos Playoffs. No entanto, criou-se uma expectativa que não se concretizou quando o time foi eliminado pelos Rangers na etapa seguinte. No entanto, um ponto pareceu evidente, o goleiro Price faz muita diferença. A esperança de bons resultados vem da expectativa de o goleiro Price voltar ao time em alto nível.

O ponto crucial da equipe foi a permanência de PK Subban, para mim, um dos melhores defensores da liga, ao lado de Chara, do Boston Bruins. Por falar em defesa, esta é a principal incógnita dos 'Canadenses' de Montreal, pois a equipe tem um setor defensivo muito jovem, e fica difícil prever como estes jogadores podem se comportar ao longo da competição, especialmente nos Playoffs.

A saída de Gionta foi um fator negativo. O cara era um líder para a equipe, além de um grande jogador. O pior é que seu sucessor natural, Gorges, também saiu. Ambos para o Buffalo Sabres. A vinda de Parenteau parece ser a grande novidade do time.

Mais uma vez, eu apostaria no Montreal Canadiens chegando a, no máximo, uma semifinal de Conferência.

Conferência Leste
Grandes equipes como New York Rangers, Philadelphia Flyers, Pittsburgh Penguins, Bostons Bruins e Detroit Red Wings tornam esta confrerência muito disputada. Há inda outros três ou quatro equipes que nem citei, mas que devem lutar por vagas nos Playoffs.

Com poucas modificações, em relação ao ano passado, o Boston Bruins segue como um dos times mais fortes da liga. Com defensores como Bergeron, Krejci e Chara, além do fantástico goleiro Tuuka Rask, a defesa do time segue como uma das melhores da liga, se não a melhor, o que vital par ao sucesso de um time de hóquei.

A saída de Ingila gerou certa repercussão, até porque o time não contratou ninguém, mas isso não tira o Boston Bruins da lista de favoritos ato título da Santley Cup. Há quem defenda que o time precisa de um ala direito urgente, pois seus principais atacantes são canhotos, alas esquerdos.

Os campeões da conferência Leste na temporada 13-14, New York Rangers, têm como grande novidade o defensor Boyle. O jogador estava no San Jose Sharks desde 2008. Mas não é só isso. O New York Rangers também contratou bons jogadores ofensivos, por isso, não seria total surpresas o time conquistar a Staley Cup neste ano. Pessoalmente, não apostaria nos Rangers, mas como não sou um bom apostador...

Conferência Oeste
Se a conferência do Leste possui grandes equipes, o Oeste não fica atrás. Tanto que os três últimos títulos ficaram com equipes da conferência Oeste, dois foram para o Los Angeles Kings e um para o Chicago Blackhawks.

Eliminado na final de conferência na temporada passada, o Chicago Blackhawks é mais uma vez um dos favoritos aos título da NHL. A vinda do veterano Brad Richards, ex-New York Rangers, é a esperança de uma melhoria ofensiva. Os torcedores do Blackhawks esperavam alguém para formar uma segunda linha forte, ao lado de Kaene e Saad. Sem dúvidas, o time de Chicago continua como um dos favoritos ao título.

Os atuais campeões, Los Angeles Kings, fizeram, para muitos especialistas, a grande contratação da temporada, ao assinar com Gaborik (ala esquerdo) por sete anos, em contrato de pouco mais de U$ 34 milhões. No entanto, para contratar Gaborik (com salário de U$ 4,8 milhões) e manter os veteranos Greene e King, o time teve que se desfazer do excelente defensor Mitcheel, que foi para o Florida Panthers.

Segundo especialistas, Gaborik já tem demonstrado grande entrosamento ao lado de Kopitar nos treinos pré temporada, o que é uma ótima notícia para os fãs dos Kings. A manutenção do elenco foi tão positivo, que os dirigentes passaram mais tempo se preocupando com as instalações e dependências do clube do que com jogadores em si. Mais uma vez, Los Angeles Kings e Chicago Blackhawks devem lutar pelo título da conferência Oeste.

Correndo por fora, mas não descartado, coloco o tradicional Anaheim Ducks. Afinal, os Ducks terminaram a temporada regular em primeiro lugar na conferência Oeste na temporada passada. Para quem não sabe, nos playoffs da temporada 13-14, o que prejudicou muito a equipe foi o baixo desempenho nos Power Plays e do setor defensivo (defensores e goleiro).

Para tentar resolver os problemas de falta de estabildiade, o Anaheim Ducks contratou Ryan Kesler, ex Vancouver Canucks, e Nate Thompson, ex Tamba Bay Lightning. Thompson é o maior vencedor de 'faceoffs' da liga, e manteve o Lightning como o time que mais venceu faceoffs nos últimos sete anos. Outra contratação elogiada foi de a de Dany Heatley, ex jogador do Minnesota Wild.

Os campeões de 2007 podem surpreender, o que seus torcedores questionam é como a equipe irá se comportar nos playoffs deste ano.


quarta-feira, 18 de junho de 2014

Semelhanças entre o Brasil de 2014 e a Alemanha de 2006

Assim como ocorreu com a Alemanha em 2006, o Brasil é anfitriã da Copa do Mundo e é apontada como um dos favoritos somente por este fator, pois pelo futebol apresentado e pelo histórico das últimas duas Copas, não seria tão favorita se o torneio fosse em outro país. Em 2006, a Alemanha também apresentou uma seleção com novidades e que, no fim das contas, comemorou o terceiro lugar.

Outra semelhança que pode ser visto como uma das curiosidades da Copa, é que a Alemanha havia sido eliminada nas quartas-de-final nos dois torneios anteriores, 2002 e 1998, assim como o Brasil foi eliminado nesta mesma fase em 2010 e 2006. A diferença é que o Brasil foi campeão há três Copas. Quando sediou a Copa do Mundo, a Alemanha havia conquistado o último título há quatro Copas. Foi campeã em 90.

Na primeira fase, a Alemanha não teve nenhum grande desafio e passou de fase com vitórias apertadas. O primeiro grande desafio foi contra a Argentina nas quartas, quando os europeus venceram nos pênaltis. Na semifinal caiu diante da Itália, que seria a campeã daquela competição.

Podemos dizer que naquela ocasião, a Alemanha chegou até a semifinal graças a um futebol motivado pelos torcedores. Da mesma forma, hoje, a torcida brasileira pode ser vista como o grande diferencial a favor da seleção de Felipão.

Para o brasileiro, ser eliminado na semifinal seria um desastre, mas se isso acontecer, provavelmente, o tempo nos mostrará que, de fato, era essa o potencial deste esquadrão. Pode chegar ao título, neste caso, certamente, o fator 'casa' será o grande responsável por isso.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Prévia da Copa do Mundo 2014

Lembrei de um vídeo da Copa que fiz há alguns anos, só com os melhores lances das Copas. Quando digo melhores, refiro-me às torcidas, momentos mais emocionantes, zebras, as melhores defesas das Copas e por aí vai. Tem lances históricos do futebol, com Pelé, Ghiggia, Puskas, Cruyff, Beckhenbauer e muitos outros.

Ao ver teste vídeo você poderá entender porque considero a Copa do Mundo um esporte diferente do futebol do dia a dia. Na Copa, o que vale são as pessoas, as histórias os acontecimentos. Todo resultado ganha ar dramático, bem diferente da rotina dos clubes. Este é o maior sonho de qualquer jogador de futebol. Dez Champions League não valem uma Copa do Mundo.

Poucos lembram de momentos marcantes da Libertadores, da Champions League ou do título nacional de um clube, mas na Copa do Mundo, um choro, um abraço, um gol se eterniza em nossas retinas.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Candidatos à decepção da Copa

Faltando duas semanas para a Copa do Mundo 2014, seria muito clichê escrever sobre quais os favoritos para a Copa, então resolvi fazer o oposto: escrever sobre quais seleções podem decepcionar na Copa 2014, no Brasil. Evidente que uma decepção será do Grupo D, pois Uruguai, Itália ou Inglaterra será eliminado na primeira fase, o que é lamentável. Holanda e Bélgica são outras equipes que eu colocaria em minha lista, que segue.

No grupo A, o grupo da seleção Brasileira, a maior decepção, que não seria tão grande assim, confesso, deve ser os Camarões. Para quem acompanhou a Copa de 90 e 86, ver um time de Camarões tão fraco é decepcionante. Garantindo o Brasil com uma das vagas, México e Croácia disputam a segunda vaga do grupo, mas seja quem for, não deve ir mais longe que as oitavas-de-final.

No grupo B, que tem Espanha, Holanda, Chile e Austrália, arrisco dizer que a Holanda pode decepcionar. Logo de cara enfrenta a Espanha, que é a favorita do grupo. No terceiro jogo, a 'laranja mecânica' enfrenta o Chile em São Paulo. Não seria loucura cogitar que o Chile chegue a este jogo precisando de um empate para se classificar. Mesmo que o Chile precise vencer a Holanda, também não acho um resultado tão impossível assim, talvez seria se a Copa não fosse na América do Sul.

No grupo C, a cabeça de chave, Colômbia, pode decepcionar novamente, como em 94. Embora minha preferência pessoal seja pela classificação de Colômbia e Costa do Marfim, acho que a retranca da Grécia pode garantir a vaga dos gregos, assim Colômbia e Costa do Marfim disputariam a segunda vaga, pois o Japão deve ser coadjuvante do grupo.

No grupo D, uma decepção está garantida. Para muitos a Inglaterra deve ser eliminada na primeira fase, no entanto, não estou muito confiante no Uruguai. Eu até gostaria que fossem campões, mas a verdade é que vivem à sombra da equipe semifinalista de 2010 e campeã das Américas no ano seguinte. Uma geração desgastada e que não apresenta bons resultados de um ano para cá. O interessante é que, na minha visão, a Inglaterra tem um time que já foca a Eurocopa, com muitos jogadores jovens. Parece que os próprios ingleses desconfiam de sua atuação em terras tupiniquins.

Dentre os grupos E e F, não acredito que possa existir decepções. Já no Grupo G, existe uma chance de Portugal decepcionar. Os lusitanos enfrentam os alemães no primeiro jogo e seria normal serem derrotados. Depois, encaram os norte-americanos em Manaus. Há uma possibilidade de sucumbirem ao clima e serem surpreendidos pelos ianques, sendo eliminados ainda na primeira fase.

Para finalizar, analisando os times do grupo H, acho que a Bélgica pode ser a decepção. Assim como a maioria até acho que os belgas têm uma geração fenomenal, com todos os setores equilibrados e podem até acabar entre os oito melhores da Copa de 2014. Por outro lado, quando falam desta Bélica me lembro da Colômbia de 94. Uma geração acima da média, para muitos a melhor da história dos respectivos países. Ambos caíram em grupos sem aparente complicação. Apresentam resultados 'pré-Copa' empolgantes. Por tantas coincidências, só falta a Bélgica sair na primeira fase. Ainda que passe, nas oitavas deve encarar um time mais forte do grupo G. Sair nas oitavas-de-final não seria um vexame histórico, mas certamente teria um gostinho de frustração para este elenco.

Leia Também

Os internautas também curtiram