sábado, 19 de dezembro de 2009

A seleção de 1958. Para muitos a melhor de todas

Para muitos, a seleção brasileira de 1958, que conquistou o primeiro troféu mundial para nós, foi a melhor de todos os tempos, melhor até que a de 1970.

Em 1958 a cobertura da mídia ainda não era tão eficaz como foi em 1970, que contou com jogos ao vivo e partidas em colorido para grande parte do mundo (não no Brasil, como muitos pensam). Mas considerando jogador por jogador, provavelmente a seleção de 1958 fosse realmente mais imponente.

Para o treinador sueco, George Raynor, o Brasil era encantador. "O time brasileiro era tão bom que eu tinha medo de começar a torcer por ele".

Campanha
Opiniões à parte, a Copa de 58 foi mágica para os brasileiros. Na estréia, um resultado imponente sobre a Áustria: 3x0. Na partida seguinte, enfrentamos a forte Inglaterra e o placar não saiu do zero.

Na terceira partida é que a história da Copa do mundo foi mudada. Três alterações deixaram o Brasil com a seleção mais poderosa do mundo. O treinador Vicente Feola trocou Dino sani, Joel e Dida por Zito, garrincha e Pelé. O resto da história o mundo todo conhece.

Ainda na primeira fase, uma vitória sobre a União Soviética por dois a zero animou os brasileiros. Nas quartas-de-final, com um gol genial de Pelé, o Brasil bateu o País de Gales por 1x0.

Na semifinal, um jogo inesquecível. A seleção canarinho bateu a França por 5x2 e encantou de vez a Europa e deixou os brasileiros em êxtase.

Na final contra a Suécia, o Brasil foi novamente fantástico. Mesmo saindo perdendo, virou o jogo e dominou a partida. Vitória por 5x2.

Jogadores pediram as alterações?
Ainda hoje muito se fala que as alterações feitas por Feola foram propostas pelos próprios jogadores que queriam ver Pelé, Zito e Garrincha como titulares. No entanto, Vavá já declarou que isso não é verdade. "Pelé nem era conhecido no Rio", ressaltou.

Nenhum comentário:

Leia Também

Os internautas também curtiram