terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Alemães param carrossel holandês

Definitivamente a Copa do Mundo de 74 entrou para a história do futebol com uma roformulação tática mais inovadora do esporte: o "carrossel holandês", que tornou a Holanda temida do mundo do futebol, atribuindo-lhe o code-nome de "Laranja Mecânica".

Dirigida poe Rinus Michels, os holandeses surpreenderam o mundo com um sistema tático que não dava aos jogadores posições fixas no gramado. Confundindo a marcação adversária e desestruturando qualquer formação tática.

Os holandeses chegaram à final após cinco vitórias e um empate. Na segunda fase, caíram no grupo que tinha Brasil, Alemanha Oriental e Argentina. Contrariando todas as previsões, os holandeses massacraram "los hermanos", vencendo por 4x0. Venceram a Alemanha Oriental por 2x0, e o Brasil, atual campeão mundial, pelo mesmo placar.

No entanto, na Final caíram diante dos donos da casa e foram derrotados por 2x1, depois de sair na frente logo com um minuto de jogo, quando os alemães nem tinham tocado na bola, fazendo muitos acreditarem que venceriam o jogo.

Confronto histórico
Um dos jogos mais atraentes daquela Copa aconteceu na primeira fase. Alemanha Oriental e Alemanha Ocidental fizeram um jogo tipicamente alemão, de muita marcação e obediência tática. No final, vitória para os orientais por um a zero.

Esta foi a única participação da Alemanha Oriental em Copas.

Alemães mais uma vez, desbanca favorito
Assim como em 1954 na Suíça, os alemães chegaram até a Final sem ser como favoritos e até com uma derrota. Em 54, perderam na primeira fase para Hungria, em 74 perderam para a Alemanha Oriental por um a zero.

Na Final desta vez, encaravam o surpreendente e destemido Carrossel Holandês, que encantara o mundo e chegava como favorito.

A final começou em grande estilo. A Holanda partiu para o ataque antes mesmo que os alemães pudessem encostar na bola. Cruyff, o gênio indomável da camisa 14, saiu com a bola dominada do círculo central e só foi parado por Uli Hoeness dentro da área. Com pouco mais de um minuto de jogo, Johan Neeskens fez o primeiro gol de pênalti em uma final da Copa do Mundo da FIFA.

Os alemães conseguiram o empate aos 25 minutos. Bernd Hölzenbein foi derrubado por Wim Jansen na área, e Paul Breitner converteu o segundo pênalti do jogo. Com Berti Vogts marcando Cruyff, Gerd Müller, ganhador da Chuteira de Ouro quatro anos antes, garantiu que o nome da Alemanha Ocidental fosse o primeiro a ser gravado no novo troféu da Copa do Mundo da FIFA aos dois minutos do segundo tempo. Müller recebeu um cruzamento de Rainer Bonhof e chutou rasteiro contra o gol de Jan Jongbloed.





Um comentário:

Francisco disse...

Bacana! Infelizmente essas inovações parecem não ter mais vez no futebol "mecanizado-empresarial" (dinheiro+musculação+mudança de clubes dos jogadores) dos dias de hoje.

AT+! =D

Leia Também

Os internautas também curtiram