domingo, 17 de julho de 2011

Melhor jogo da Copa América termina nos pênaltis

O jogo deste sábado entre Argentina e Uruguai foi, definitivamente, o melhor confronto desta Copa América até aqui. Mais uma vez o Uruguai mostrou sua especialidade de calar estádios lotados.

O clássico mais antigo do futebol teve todos os igredientes de um grande jogo. Catimba, jogadas geniais, grandes defesas, bola na trave e até disputa de pênaltis: a cereja do bolo.

Para os que desejavam ver um grande jogo de Messi pela seleção argentina, ontem foi o dia. Lionel driblou, passou, chutou, só não balançou as redes (a não ser nos pênaltis), pena que seus companheiros não eram Xavi, Iniesta ou Villa.

Do outro lado, Muslera, que eu considero um frangueiro, teve um dia de "defesas indefensáveis" e corou sua participação defendendo a cobrança de pênalti de Carlos Tevez.

O astro argentino, mais querido que Messi em seu país, foi o único jogador a errar a cobrança na disputa de pênaltis, culminando na eliminação dos donos da casa da competição. Ainda assim o treinador não considerou a eliminação um desastre.

Até entendo o ponto de vista dele. A Argentina jogou bem era para ser vitoriosa, se não fosse Muslera. Desastre mesmo, foi a atuação contra a Bolívia. Contra Colômbia o jogo foi equilibrado; contra a Costa Rica Los Hermanos fizeram a lição de casa; e ontem também estiveram melhor em campo.

Vitórias improváveis
Se, por um lado, poucos esperavam que o Uruguai passasse pela Argentina, por outro, a eliminação do Peru frente a Colômbia parecia certa, mas o que vimos foi o contrário e uma das semifinais da Copa América será Uruguai x Peru.

Para quem acha que o Uruguai é favorito, não duvido fazerem um jogo pífio na próxima semana e serem eliminados.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Robinho não tem lugar na minha seleção

Sei que muitos, talvez a maioria, discordam de mim, mas minha opinião é que o tempo do Robinho na seleção brasileira já passou.

Enquanto ele for a principal esperança de títulos para o Brasil, continuaremos amargando um futebol de altos e baixos.

Não que eu o ache um perna-de-pau, mas suas oscilações não têm espaço para a seleção. Apesar de ter sido o artilheiro na Era Dunga, não foi ele o protagonista dos bons momentos daquele time.

Para mim ele é mais um Denílson. Tinha tudo para despontar com um dos melhores do mundo, mas a falta de seriedade e a soberba nos dribles nunca o tornaram O PROTAGONISTA. Mesmo campeão mundial em 2002, e com dribles desconcertantes, não podemos dizer que, nem de longe, Denílson foi destaque na conquista da Ásia.

Protagonista ou coadjuvante?
Para mim, Robinho é, no máximo, um bom reserva. Para quem achava que um dia seria o melhor do mundo, hoje, na minha visão, ser titular da seleção já é o auge da carreira.

Discordo de vê-lo atuar como titular no time de Mano Menezes.

Robinho x Diego
Desde que surgiu no Santos minha opinião é a mesma: Diego é mais importante que Robinho para a formação de um bom time.

Infelizmente, Diego não teve espeço na seleção brasileira e não conseguiu despontar como estrela do time da Juventus, quando teve a oportunidade, e agora cai no esquecimento. No entanto, ao assistir seus jogos nos últimos dois anos, ainda penso que não ser chamado para defender o Brasil é um erro de nossos técnicos.

Com certeza seria muito mais útil que Júlio Baptista.

Claro que Robinho e Diego não jogam na mesma posição, mas minha visão é que na formação de um time forte, Diego é mais essencial que Robinho, este pode ser substituído por tantos outros.

Leia Também

Os internautas também curtiram