sábado, 25 de agosto de 2012

Neymar, Robinho e Denílson. Focas inexpressíveis

Se você acompanhou a Copa de 2002, certamente lembra da imagem de Denílson sendo perseguido por meia dúzia de turcos. Com a bola no pé o meia brasileiro estava dentro da área quando resolveu abrir a jogada e correu até a lateral para sofrer a falta. Para alguns lance de gênio, para mim pura improdutividade.

Denílson sempre foi visto pelo brasileiro como showman. Um ícone do futebol arte. Fato é que sempre foi um jogador sem grande expressão no futebol mundial. Na Europa nunca foi cogitado para atuar em grandes equipes. Ainda assim para boa parte dos brasileiros, um meia para ficar na história do futebol brasileiro. Para mim, fez história sim: como um jogador talentoso consegue ser medíocre quando não joga pelo time.

Mais recente, Robinho foi o astro do futebol brasileiro. Foi à Europa sonhando em ser eleito o melhor do mundo algum dia. Com dribles bonitos, sua habilidade técnica é inquestionável, como também é inquestionável como nunca foi cogitado para ser eleito um dos melhores do mundo (top three).

"Showman" continua indecisivo
Neymar pipoqueiro?
A bola da vez agora é Neymar. Jogador que não canso de criticar. Jogador que, até agora, não foi decisivo nos jogos mais difíceis. Campeão da Libertadores? Quais adversários tradicionais o Santos enfrentou? O decadente Peñarol, o desinteressado América? Não estou minimizando o título do Santos, estou dizendo que Neymar não teve um teste de fogo, enfrentando, por exemplo, Boca Juniors, Corinthians ou Estudiantes, por exemplo.

Contra o Barcelona, e neste ano contra o Corinthians, Neymar não foi "o cara". Na seleção, em todos os jogos decisivos, ele desapareceu. Copa América, Olimpíadas e nos amistosos contra equipes fortes: França, Alemanha...

Anos-luz de Messi
Lá fora, o vaidoso jogador continua sendo "promessa". E continuará sendo enquanto não for decisivo em jogos importantes. As críticas ao jogador santistas são fundadas e coerentes. Recentemente, um jornalista o chamou de foca. Perfeito a análise do "hermano".

Já escrevi em outro post: Comparar Neymar com Messi é como comparar Maradona com Pelé. As pessoas levam mais para o lado do patriotismo que pela análise real. Recentemente eu mudei de opinião: comparar Neymar com Messi é como comparar Pelé com Robinho.

Para finalizar, só quero deixar claro que minhas críticas não são contra o Santos, mas puramente contra o "pseudocraque" Neymar.

Enquanto não amadurecer a mente, jogando com mais malabarismos e menos objetividade será mais um jogador, nada mais que isso. Pelo bem do futebol e da seleção, torço para que o atacante prove que pode ser considerado o melhor do mundo. Caso contrário: Maracanazo 2014 à vista.

domingo, 19 de agosto de 2012

Brasil em Londres: decepção ou satisfação?

Nas últimas olimpíadas nos decepcionamos com o futebol, vôlei de praia e o vôlei masculino. Também esperávamos mais de Cielo, Murer, Scheidt e alguns judocas. As medalhas de ouro vieram onde não apostávamos. E muitos acharam o desempenho do Brasil ruim.

Como eu já havia previsto em março, eu não esperava mais de 15 medalhas. Se fossem cinco de ouro, seria uma surpresa para mim. Ao contrário de outros países que costumam evoluir bastante no esporte alguns anos antes de sediar as olimpíadas, o Brasil manteve um desempenho razoável.

Decepção? Só com os dirigentes
Se alguém me perguntar se gostei do desempenho brasileiro em Londres, eu diria que me decepcionei sim, com os dirigentes. Para os atletas, mesmo os que não foram tão bem, meus parabéns.

Seguir a carreira de atleta em um país como o nosso já merece meu respeito. O problema é mesmo os dirigentes pretensiosos e oportunistas que nós temos.

Quando vejo entrevistas com presidente do COB ou ministro dos esportes, fico revoltado com tanta demagogia.

O que mudar
Na minha visão não adianta vir com papo de investimento e dinheiro e coisa e tal. O Brasil não tem esporte na escola, não tem esporte na tv aberta, o marketing esportivo beira o amadorismo. Não vou dizer que está tudo errado, mas diria que está tudo muito lento.

Os atletas estão nas mãos incompetentes dos dirigentes do esporte brasileiro. Se o objetivo para 2016 é terminar no Top 10, acho que muita coisas tem que mudar. A começar pelos dirigentes.

sábado, 11 de agosto de 2012

Futebol não consegue ouro mais fácil da história

Eu até cheguei a cogitar que o Brasil venceria o ouro e já preparava um texto para dizer que ouro mascarava uma seleção fraca. A derrota caiu como uma luva e, para mim, quem torce pelo futebol brasileiro  deve ficar satisfeito com o resultado.

Jogos ridículos
O caminho para a final olímpica foi ridícula. Conquistar o ouro poderia mascarar um time fraco e consagrar jogadores #pífios como o zagueiro Juan, os goleiros igualmente péssimos, volantes que beiram o ridículo e atacantes que massacram times pequenos e são massacrados por equipes medianas - o que dirá times fortes.

Conquistar um ouro olímpico tendo como jogo mais difícil contra o México seria lamentável. Não tivemos que vencer Espanha, Uruguai, Argentina, Alemanha, França ou qualquer outro time mais tradicional. Os mais fanáticos podem dizer "essas equipes não chegaram até as olimpíadas, ou até as fases finais porque são ruins". Mas certamente num confronto direto contra o Brasil, apresentariam um esquema de jogo e uma motivação muito diferente, mais desafiadora para o time de @Mano.

Neymar prova ser pequeno
Podem me criticar, me ameaçar de morte e hackear meu blog, mas volto a dizer "Neymar ainda é pequeno".  Compará-lo com Messi, Cristiano Ronaldo, Ibrahimovic é ridículo. Para mim Neymar é um novo Robinho, Pato ou Denílson. Bom de bola, mas que nunca será eleito, sequer, um dos três melhores do mundo.

O santista dribla para lá e para cá contra Bolívia, Equador, Gana, mas quando se trata de Alemanha, Argentina, França e até México ou Paraguai (que não são nenhuma potência mundial) jogo como um menino, que é. E não me venha falar daqueles amistosos que a globo chamou de "superclássico".

o Astro brasileiro é fominha quando deve jogar para o time, apresenta um número alto passes imprecisos (para quem quer ser eleito melhor do mundo) e cai-cai quando deve mostrar força, bem diferente do argentino do Barça ou do português da equipe merengue.

Posso até concordar que seja o jogador brasileiro em melhor nível, mas isso só prova como o futebol brasileiro está enfrentando uma crise encabeçado pelo treinador da seleção. Apenas um reflexo da bagunça que é a CBF.

Se o comando da seleção não mudar, continuo apostando em um novo Maracanazo. Mas para ser honesto, prefiro dividir a culpa deste baixo nível do futebol brasileiro entre Mano, Ricardo Teixeira, José Maria Marin, André Sanches e toda essa corja que dirige o futebol brasileiro.

sábado, 4 de agosto de 2012

The gold medal of corruption goes to....... Brazil


Talking about Rio 2016 and World Cup 2014 - bouth in Brazil - i wrote, already, about Tourism, Employmentinvestments and negligence. Now let’s talk about the Brazilian specialty: Corruption.

Most of building for World Cup and Olympic Games are overpriced. Stadiums, airports, roads, subway… For example, the Mané Garrincha Stadium, in Brasília, will cost seven hundred million reais. Let’s compare. The European Stadiums are cheaper than the Mané Garrincha Stadium. The best stadiums in the world are in Europe: England, Germany, Italy, but those stadiums are much better than the Brazilian.

Just a detail, this price of Mane Garrincha – seven hundred million reais, is for an incomplete stadium. This price does not include: the grass, the electrical system…

The Mné Garrincha project
In 2007, Rio de Janeiro host the Pan-american Games. A brazilian university, PUC, conducted a study about the costs of the Pan. Just 3% of all the money spent was paid by private money. The goverment spent millions on this event. It was my money spent in buildings that are abandoned nowdays.

An exemple of  overpricing is the Engenhão, wich cost six time more than expectedThe Engenhão Stadium should cost  thirty million reais, but it cost three hundred fifty million reais. In other words, with this money, the government could have built ten stadiums. Again: my money in trashThe Engenhão was so expansive, that investment will take more than one hundred years to be recovered.

In 2007, the Olympic Village cost ten million more than the original price. And it’s a trash, can not be used for Olympic Games. Just like the aquatic park - Maria Lenk - and the velodrome. The World Cup and Olympic Games in Brazil will be the most expensive of the history.

Now the brazilian journalists have questined the Itaquerão stadium, in São Paulo.This private stadium is being built with public money. This is just one of a lot of absurdities of World Cup and Olympic Games in Brazil.

Here, in Brazil, seems that hosting Fifa World Cup and Olympic Games will make us a country without poverty or corruption. Oh my God!!!

Leia Também

Os internautas também curtiram