sábado, 27 de outubro de 2012

Why Messi is so good

In my opinion, we can't say that Messi is the best ever or better than Maradona. But I woul like to say that Lionel have a lot to teach to anybody else who likes football.

There is one thing in common between Messi Xavi and Iniesta: the intelligence. When we think that Messi'll pass, he shoots, when we thnik that Messi'll shoot, he pass. Maybe the "three tenors" have an other thing very important in commom: the humble, missing in players who want to be the best of the world, like Cristiano, Neymar and Ibra.

They're humble enough to give the goal to the friend. It's an important think in this historical Barcelona. The spanish squad have this quality too. When one entire team have this quality, all the team wons. This is way Barcelona is so better than any team else.

Barça don't need Villa
Off course David Villa is a great player, and have a lot to offer to Barcelona, but playing without the "oeiginal Forward' like Villa, Messi appears more in game and it is good to the team. With Villa, Pedro, Ibra and others "original forward" Messi plays over the sides of the field, but none is better forward than Messi.

When Villa returns, lets see how many goals Messi - and Barcelona - will do.

I think Messi's humble and intelligence is better than any player who can play as forward in Barcelona

domingo, 7 de outubro de 2012

Cerca de 20% dos paulistanos não têm time. Um bom sinal

A @Folha divulgou uma notícia informando que aproximadamente 20% dos paulistanos se declaram não ter um time de coração. Para mim isso pode ser um sinal positivo. Pois deve ser observado como a pessoas estão se desinteressando pelo futebol nacional.

Pessoalmente, tenho percebido que muitos brasileiros, desde a eliminação na Copa de 2010, passaram a desacreditar no futebol daqui. Por outro lado, com aparição de Neymar, Lucas e título da Libertadores do Corinthians, alguns ainda acham que o Brasil ainda pode ser chamado de "país do futebol".

Pena que outros esportes não ganham adeptos
Lamentavelmente a queda popular do futebol não representa ascensão de outros esportes. Seria bem legal se eu pudesse perceber as pessoas acompanhando outros esportes, mas não é isso que vejo.

O país sede da próxima Olimpíadas ainda depende muito mais de talentos e esforços isolados nos esportes em geral. Se não tem Guga, não tem atenção para o tênis; se não tem Dayane, não tem ídolos na ginástica; se não tem Marta, o futebol feminino é esquecido; se não tem Prada ou Scheidt, não há medalha no iatismo...

Se fossemos esperar resultados de acordo com os investimentos e planejamento do Governo...

Sem futebol, sem esporte
Mas se você é como eu, que gosta de esporte e vive procurando notícias e torneios para acompanhar além daqueles relacionados ao futebol, com certeza, sente-se muito frustrado pela dificuldade que temos de encontrar informações e de acompanhar qualquer outro esporte que não o futebol.

Com ajuda de internet e tv a cabo já é complicado, sem esses auxílios, estamos fadados às matérias e entrevistas que beiram o ridículo no Esporte Interativo, Globo Esporte...

Quem paga a transmissão tem que promover o futebol
Assistir uma matéria no Globo Esporte sobre um jogo de vídeo game entre Leifert e Neymar é ridículo. Não existe outro esporte que mereça uma matéria de cinco minutos? Claro que não. Ver o apresentador do programa rasgando ceda de um jogador de futebol é muito mais importante. Lamentável!

Quem paga Milhões para transmitir o Brasileirão tem que promover o evento a qualquer custo, e obviamente não vai dar espaço aos demais esportes, pois não os transmite.

A promoção do "Superclássico das América" mostra bem como o futebol monopoliza o espaço da Globo. Não é possível que não haja outro evento esportivo mais interessante para transmitir.

Esperança
Com esse, aparente, descontentamento crescente pelo futebol outros esportes poderiam ganhar espaço. Pena que não ganham; e somos obrigados a acompanhar o futebol que nos é enfiado goela abaixo pelos detentores dos direitos de transmissão do esporte bretão.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Torcedores fanáticos. Derrota social

O que ocorreu neste final de semana em Curitiba foi vergonhoso. Mostra como o fanatismo pelo futebol leva pessoas a agirem de forma irracional. Torcedores quase agredirem uma menina porque ela pediu a camisa de um jogador do time adversário (que nem rival da cidade é) mostra como essas pessoas estão alienadas.

Outro exemplo que posso lembrar é o apedrejamento do ônibus do time do Corinthians no ano passado, após eliminação da Libertadores.

Mas o problema não é esta ou aquela torcida e sim o grau de fanatismo que as pessoas levam o futebol. Pintar a cara, fazer tatuagem eu até entendo como normal, mas brigar, apedrejar e coisas do tipo mostram como o sujeito não tem prioridades sociais: emprego, família, cidadania...

O fracasso social
O futebol é um esporte, um entretenimento, não deveria levar pessoas a apedrejarem ônibus, ameaçarem meninas, quebrar lojas ou espancar pessoas que estão com uma camisa do time rival (uma camisa de outra cor muitas vezes já é o suficiente).

Essas atitudes, para mim, demostram como o brasileiro cresce sem objetivos na vida. Muitos gastam com jogos e viagens para ver o time, mas não paga uma escola ou curso para o filho, não reforma a casa, não leva a esposa para jantar fora. Não buscam cursos para si mesmos (idiomas, faculdade, pós...). Os valores sociais estão invertidos: tudo pelo time, a vida pelo time. A sociedade perdeu para o futebol. Que vergonha!

Quantos não "tem dinheiro" para pagar uma consulta médica, um dentista, uma escola para o filho, mas tem três, quatro camisas oficiais do time? E outras tantas piratas.

O interessante é que essas mesmas pessoas que usam toda a paixão pelo time, não fazem nada contra as mazelas políticas. Todos reclamam da passagem do ônibus, da falta de médico, da insegurança pública, mas estão ocupados de mais para qualquer tipo de protesto, de cobrança - claro, não violenta.

Viver pelo time. O que eu ganho em troca?
Meu time foi campeão mundial? Legal! O que eu ganhei em troca? Nada!

Meu time foi rebaixado? Que pena! O que eu perdi em troca? Nada!

Não sou promovido ou demitido pelos resultados desse ou daquele time (graças a Deus). Minha família não ganha viagens, casa ou dinheiro quando alguma equipe - e nem a seleção -é campeã.

Vou eu esquentar minha cabeça por causa de um ou outro time de futebol? Nunca. Mas o brasileiro não é criado assim.

Como eu queria viver em uma sociedade equilibradas. Um lugar onde as pessoas cobrassem mais os políticos e as políticas sociais, que os jogadores e treinadores.

Leia Também

Os internautas também curtiram