terça-feira, 23 de setembro de 2014

Pena que o Brasil conquista títulos e a Inglaterra não

O futebol inglês é um do mais organizados do mundo, se não for "o" mais organizado, no entanto, isso não tem se refletido em títulos para a seleção inglesa, o que acho uma pena, pois isso só deixaria mais claro como a organização e profissionalismo refletem em bons resultados para a seleção de um país. Por outro lado, o Brasil, apesar da CBF, segue vencendo torneios internacionais.

É inegável o fortalecimento da Liga Inglesa e suas equipes apos a formação da Premiership nos anos 90, podemos ver, por exemplo, que mesmo as equipes de segunda divisão possuem administração e até estádios melhores que os clubes da primeira divisão de muitos países, inclusive do Brasil. Hoje podemos dizer que temos bom estádios, mas isso só deve, claro, à Copa do Mundo, e não ao empenho da CBF e seus clubes filiados.

Vamos voltar a falar de seleções. Ainda bem que a Copa do Mundo 2014, no Brasil, foi vencida pela Alemanha, pois seria terrível para o nosso próprio futebol se o Brasil levantasse o caneco, nos daria uma falsa ilusão de que está tudo bem. Aliás, um dos maiores lamentos que tenho em relação à seleção brasileira foi o título de 2002. Naquela época eu já discordava de muita coisa da CBF e da não convocação de Romário. No fim das contas, o Brasil ganhou e tudo "estava uma maravilha".

Se tanto ressaltamos o futebol alemão, também seria justo enaltecer os esforços do futebol inglês.. Mas a seleção inglesa insiste em fracassar nos torneios internacionais. Vale lembrar que em 2008 sequer se classificou para a Euro, foi eliminada no grupo que se classificaram Croácia e Rússia.

Em Copas do Mundo, a Inglaterra segue sem obter êxito contra equipes tradicionais. Já foi eliminada por Brasil, Alemanha e Argentina, sem falar de Portugal em 2006. Para piorara, nem passou da primeira fase da Copa do Mundo 2014, no Brasil.

Na Euro, a equipe também segue sem chegar, pelo menos, à semifinal. A última vez que a Inglaterra chegou à semifinal da Euro foi em 1996, quando foi sede; caiu diante da Alemanha, que conquistou o título mais tarde, nos pênaltis.

Talvez a grande sina a ser vencida pela seleção inglesa seja a de começar a conseguir vencer os times tradicionais. Para chegar a um título europeu ou mundial é inevitável ter que vencer Alemanha, Brasil, Itália, Argentina ou França, equipes que a Inglaterra não derrota nestes torneios.

Entre a CBF e a federação inglesa de futebol, eles mereciam resultados mais positivos que os nossos, mas isso não ocorre, e a CBF continua em sua redoma de vidro achando que é "o Brasil que deu certo".

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Prévia da temporada 14-15 da NHL

Este é apenas o segundo ano que faço uma prévia da principal liga de hóquei no gelo do mundo, a NHL, portanto o desafio é grande, mas a satisfação também, afinal, porque ter um blog se não for por satisfação. Falar dos trinta times da NHL é difícil, por isso, decidi realizar um levantamento daquelas que considero as principais candidatas ao título, incluindo minha equipe favorita, Montreal Canadiens.

Montreal Canadiens
Começando pelo time de Montreal, posso dizer que estou mais otimista do que na última temporada, quando o time até me surpreendeu ao eliminar o Boston Bruins, até então favoritos ao título, nos Playoffs. No entanto, criou-se uma expectativa que não se concretizou quando o time foi eliminado pelos Rangers na etapa seguinte. No entanto, um ponto pareceu evidente, o goleiro Price faz muita diferença. A esperança de bons resultados vem da expectativa de o goleiro Price voltar ao time em alto nível.

O ponto crucial da equipe foi a permanência de PK Subban, para mim, um dos melhores defensores da liga, ao lado de Chara, do Boston Bruins. Por falar em defesa, esta é a principal incógnita dos 'Canadenses' de Montreal, pois a equipe tem um setor defensivo muito jovem, e fica difícil prever como estes jogadores podem se comportar ao longo da competição, especialmente nos Playoffs.

A saída de Gionta foi um fator negativo. O cara era um líder para a equipe, além de um grande jogador. O pior é que seu sucessor natural, Gorges, também saiu. Ambos para o Buffalo Sabres. A vinda de Parenteau parece ser a grande novidade do time.

Mais uma vez, eu apostaria no Montreal Canadiens chegando a, no máximo, uma semifinal de Conferência.

Conferência Leste
Grandes equipes como New York Rangers, Philadelphia Flyers, Pittsburgh Penguins, Bostons Bruins e Detroit Red Wings tornam esta confrerência muito disputada. Há inda outros três ou quatro equipes que nem citei, mas que devem lutar por vagas nos Playoffs.

Com poucas modificações, em relação ao ano passado, o Boston Bruins segue como um dos times mais fortes da liga. Com defensores como Bergeron, Krejci e Chara, além do fantástico goleiro Tuuka Rask, a defesa do time segue como uma das melhores da liga, se não a melhor, o que vital par ao sucesso de um time de hóquei.

A saída de Ingila gerou certa repercussão, até porque o time não contratou ninguém, mas isso não tira o Boston Bruins da lista de favoritos ato título da Santley Cup. Há quem defenda que o time precisa de um ala direito urgente, pois seus principais atacantes são canhotos, alas esquerdos.

Os campeões da conferência Leste na temporada 13-14, New York Rangers, têm como grande novidade o defensor Boyle. O jogador estava no San Jose Sharks desde 2008. Mas não é só isso. O New York Rangers também contratou bons jogadores ofensivos, por isso, não seria total surpresas o time conquistar a Staley Cup neste ano. Pessoalmente, não apostaria nos Rangers, mas como não sou um bom apostador...

Conferência Oeste
Se a conferência do Leste possui grandes equipes, o Oeste não fica atrás. Tanto que os três últimos títulos ficaram com equipes da conferência Oeste, dois foram para o Los Angeles Kings e um para o Chicago Blackhawks.

Eliminado na final de conferência na temporada passada, o Chicago Blackhawks é mais uma vez um dos favoritos aos título da NHL. A vinda do veterano Brad Richards, ex-New York Rangers, é a esperança de uma melhoria ofensiva. Os torcedores do Blackhawks esperavam alguém para formar uma segunda linha forte, ao lado de Kaene e Saad. Sem dúvidas, o time de Chicago continua como um dos favoritos ao título.

Os atuais campeões, Los Angeles Kings, fizeram, para muitos especialistas, a grande contratação da temporada, ao assinar com Gaborik (ala esquerdo) por sete anos, em contrato de pouco mais de U$ 34 milhões. No entanto, para contratar Gaborik (com salário de U$ 4,8 milhões) e manter os veteranos Greene e King, o time teve que se desfazer do excelente defensor Mitcheel, que foi para o Florida Panthers.

Segundo especialistas, Gaborik já tem demonstrado grande entrosamento ao lado de Kopitar nos treinos pré temporada, o que é uma ótima notícia para os fãs dos Kings. A manutenção do elenco foi tão positivo, que os dirigentes passaram mais tempo se preocupando com as instalações e dependências do clube do que com jogadores em si. Mais uma vez, Los Angeles Kings e Chicago Blackhawks devem lutar pelo título da conferência Oeste.

Correndo por fora, mas não descartado, coloco o tradicional Anaheim Ducks. Afinal, os Ducks terminaram a temporada regular em primeiro lugar na conferência Oeste na temporada passada. Para quem não sabe, nos playoffs da temporada 13-14, o que prejudicou muito a equipe foi o baixo desempenho nos Power Plays e do setor defensivo (defensores e goleiro).

Para tentar resolver os problemas de falta de estabildiade, o Anaheim Ducks contratou Ryan Kesler, ex Vancouver Canucks, e Nate Thompson, ex Tamba Bay Lightning. Thompson é o maior vencedor de 'faceoffs' da liga, e manteve o Lightning como o time que mais venceu faceoffs nos últimos sete anos. Outra contratação elogiada foi de a de Dany Heatley, ex jogador do Minnesota Wild.

Os campeões de 2007 podem surpreender, o que seus torcedores questionam é como a equipe irá se comportar nos playoffs deste ano.


quarta-feira, 18 de junho de 2014

Semelhanças entre o Brasil de 2014 e a Alemanha de 2006

Assim como ocorreu com a Alemanha em 2006, o Brasil é anfitriã da Copa do Mundo e é apontada como um dos favoritos somente por este fator, pois pelo futebol apresentado e pelo histórico das últimas duas Copas, não seria tão favorita se o torneio fosse em outro país. Em 2006, a Alemanha também apresentou uma seleção com novidades e que, no fim das contas, comemorou o terceiro lugar.

Outra semelhança que pode ser visto como uma das curiosidades da Copa, é que a Alemanha havia sido eliminada nas quartas-de-final nos dois torneios anteriores, 2002 e 1998, assim como o Brasil foi eliminado nesta mesma fase em 2010 e 2006. A diferença é que o Brasil foi campeão há três Copas. Quando sediou a Copa do Mundo, a Alemanha havia conquistado o último título há quatro Copas. Foi campeã em 90.

Na primeira fase, a Alemanha não teve nenhum grande desafio e passou de fase com vitórias apertadas. O primeiro grande desafio foi contra a Argentina nas quartas, quando os europeus venceram nos pênaltis. Na semifinal caiu diante da Itália, que seria a campeã daquela competição.

Podemos dizer que naquela ocasião, a Alemanha chegou até a semifinal graças a um futebol motivado pelos torcedores. Da mesma forma, hoje, a torcida brasileira pode ser vista como o grande diferencial a favor da seleção de Felipão.

Para o brasileiro, ser eliminado na semifinal seria um desastre, mas se isso acontecer, provavelmente, o tempo nos mostrará que, de fato, era essa o potencial deste esquadrão. Pode chegar ao título, neste caso, certamente, o fator 'casa' será o grande responsável por isso.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Prévia da Copa do Mundo 2014

Lembrei de um vídeo da Copa que fiz há alguns anos, só com os melhores lances das Copas. Quando digo melhores, refiro-me às torcidas, momentos mais emocionantes, zebras, as melhores defesas das Copas e por aí vai. Tem lances históricos do futebol, com Pelé, Ghiggia, Puskas, Cruyff, Beckhenbauer e muitos outros.

Ao ver teste vídeo você poderá entender porque considero a Copa do Mundo um esporte diferente do futebol do dia a dia. Na Copa, o que vale são as pessoas, as histórias os acontecimentos. Todo resultado ganha ar dramático, bem diferente da rotina dos clubes. Este é o maior sonho de qualquer jogador de futebol. Dez Champions League não valem uma Copa do Mundo.

Poucos lembram de momentos marcantes da Libertadores, da Champions League ou do título nacional de um clube, mas na Copa do Mundo, um choro, um abraço, um gol se eterniza em nossas retinas.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Candidatos à decepção da Copa

Faltando duas semanas para a Copa do Mundo 2014, seria muito clichê escrever sobre quais os favoritos para a Copa, então resolvi fazer o oposto: escrever sobre quais seleções podem decepcionar na Copa 2014, no Brasil. Evidente que uma decepção será do Grupo D, pois Uruguai, Itália ou Inglaterra será eliminado na primeira fase, o que é lamentável. Holanda e Bélgica são outras equipes que eu colocaria em minha lista, que segue.

No grupo A, o grupo da seleção Brasileira, a maior decepção, que não seria tão grande assim, confesso, deve ser os Camarões. Para quem acompanhou a Copa de 90 e 86, ver um time de Camarões tão fraco é decepcionante. Garantindo o Brasil com uma das vagas, México e Croácia disputam a segunda vaga do grupo, mas seja quem for, não deve ir mais longe que as oitavas-de-final.

No grupo B, que tem Espanha, Holanda, Chile e Austrália, arrisco dizer que a Holanda pode decepcionar. Logo de cara enfrenta a Espanha, que é a favorita do grupo. No terceiro jogo, a 'laranja mecânica' enfrenta o Chile em São Paulo. Não seria loucura cogitar que o Chile chegue a este jogo precisando de um empate para se classificar. Mesmo que o Chile precise vencer a Holanda, também não acho um resultado tão impossível assim, talvez seria se a Copa não fosse na América do Sul.

No grupo C, a cabeça de chave, Colômbia, pode decepcionar novamente, como em 94. Embora minha preferência pessoal seja pela classificação de Colômbia e Costa do Marfim, acho que a retranca da Grécia pode garantir a vaga dos gregos, assim Colômbia e Costa do Marfim disputariam a segunda vaga, pois o Japão deve ser coadjuvante do grupo.

No grupo D, uma decepção está garantida. Para muitos a Inglaterra deve ser eliminada na primeira fase, no entanto, não estou muito confiante no Uruguai. Eu até gostaria que fossem campões, mas a verdade é que vivem à sombra da equipe semifinalista de 2010 e campeã das Américas no ano seguinte. Uma geração desgastada e que não apresenta bons resultados de um ano para cá. O interessante é que, na minha visão, a Inglaterra tem um time que já foca a Eurocopa, com muitos jogadores jovens. Parece que os próprios ingleses desconfiam de sua atuação em terras tupiniquins.

Dentre os grupos E e F, não acredito que possa existir decepções. Já no Grupo G, existe uma chance de Portugal decepcionar. Os lusitanos enfrentam os alemães no primeiro jogo e seria normal serem derrotados. Depois, encaram os norte-americanos em Manaus. Há uma possibilidade de sucumbirem ao clima e serem surpreendidos pelos ianques, sendo eliminados ainda na primeira fase.

Para finalizar, analisando os times do grupo H, acho que a Bélgica pode ser a decepção. Assim como a maioria até acho que os belgas têm uma geração fenomenal, com todos os setores equilibrados e podem até acabar entre os oito melhores da Copa de 2014. Por outro lado, quando falam desta Bélica me lembro da Colômbia de 94. Uma geração acima da média, para muitos a melhor da história dos respectivos países. Ambos caíram em grupos sem aparente complicação. Apresentam resultados 'pré-Copa' empolgantes. Por tantas coincidências, só falta a Bélgica sair na primeira fase. Ainda que passe, nas oitavas deve encarar um time mais forte do grupo G. Sair nas oitavas-de-final não seria um vexame histórico, mas certamente teria um gostinho de frustração para este elenco.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Playoffs da NHL


Nesta semana foram definidos os confrontos dos playoffs da NHL, com as oito melhores equipes da primeira fase. Pelo menos cinco confrontos são equilibrados a ponto de não terem um favorito claro. Em três confrontos podemos dizer que há um favorito, mas isso não significa que não possam haver surpresas. As equipes mais forte estão na conferência Leste e devem realizar os jogos mais equilibrados.

Boston Brunis x Detroit Red Wings
Olhando meramente para a classificação final na primeira fase poderíamos dizer que o Boston é franco favorito, mas levando em consideração a ascensão na etapa final, o time de Detroit vai ser uma parada dura para os Bruins.

vale lembrar que o Boston Bruins chegou às finais da NHL duas vezes no últimos três anos. Tem uma equipe forte fisicamente, com bons atacantes e um goleiro acima da média. Rask é, sem dúvidas, um ponto essencial para o time de Boston manter-se na briga pelo título da NHL.

O desfalque de Zettembreg é, definitivamente, um ponto negativo para os "Asas vermelhas". Espera-se que ele volte durante a disputa dos playoffs, se isso realmente ocorrer, o Detroit pode (por que não?) ser até mesmo um dos favoritos ao título.

Tamba Bay Lightning x Montreal Canadiens
Um confronto que já se mostrou equilibrado na primeira fase, quando os times se enfrentaram quatro vezes. Foram jogos duros e três deles terminaram 2x1, sendo dois deles decididos na 'prorrogação'. Acredito que o time de Tampa Bay tem pequena vantagem.

Mais uma vez, acho que o Canadiens não devem ir muito longe. Mesmo que passem pelo Lightning, enfrentariam Boston ou Detroit na próxima fase, duas equipes que acho muito mais competitivas e preparadas.

Tampa bay Lightning começaram muito bem, mas apresentaram alguns períodos de irregularidade durante a temporada. A performance do defensor Victor Hedman é um grande indicativo da performance do próprio time. O problema, para as demais equipes, é que o jovem atleta está em ótima fase.

Pittsburgh Penguins x Columbus Blue Jackets
Para mim, um dos confrontos mais desequilibrados, a favor do time de Pittsburgh. A primeira fase já mostrou bem como os "pinguins" são superiores aos rivais. Foram cinco jogos e cinco vitórias dos pinguins.

Liderados pelo espetacular Sidney Crosby, o Penguins sempre começam a temporada como um dos favoritos ao título, pelo menos da conferência.

A favor do time de Columbus podemos citar que, nos cinco confrontos, o time disparou mais a gol que o Pittsburgh. Além disso, o goleiro titular jogou apenas um dos jogos.

New York Rangers x Philadelphia Flyers
Um confronto dos mais equilibrados, pelo menos na teoria. Segundo especialistas, o que deve fazer a diferença neste duelo será o fator 'casa'. As duas equipes podem desempenhar um papel importante jogando em casa e nisso, o time de Filadélfia leva vantagem, já que faz quatro jogos em casa (se a série tiver sete jogos).

A favor do time de Nova Iorque posso mencionar que o time teve a melhor campanha em casa da temporada, com 25 vitórias. nos confrontos da primeira faze, os Rangers marcaram quatro gols em dois jogos na Filadélfia. Já em Nova Iorque, o time de Filadélfia marcou apenas dois gols. O time de Filadélfia não vence os Rangers em Nova Iorque desde fevereiro de 2011.

Já os Flyers possuem uma grande aproveitamento de 'Power Plays' em casa, o que determinou sua vitória algumas vezes. Com melhor campanha na primeira fase, o Filadélfia tem a seu favor um pouco mais de regularidade, mas certamente este deve ser um dos confrontos mais emocionantes.

Colorado Avalanches x Minnesota Wild
mais um jogo que deve apresentar jogos equilibrados. Embora o favoritismo, na minha opinião, seja para o Colorado, não significa que estamos falando de um franco favorito.

O Minnesota apresentou uma ótima forma nos últimos jogos e os jogadores estão empolgados pelo retorno da franquia à fase de playoffs. Curiosamente, o time possui uma das piores performances ofensivas nos dois primeiros períodos. Nos playoffs, nem sempre dá tempo de se recuperar no último período.

O time de Colorado começou muito bem a temporada e conseguiu o título da divisão Central, terminando em segundo na sua conferência. Desde 2002-2003 o Colorado não conquistava o título da divisão central.

St. Louis Blues x Chicago Blackhawks
Mais um confronto que deve render jogos emocionantes e equilibrados. O time de St. Louise mostrou extrema competência, embora esteja numa sequência de seis derrotas. Para muitos, o vencedor deste confronto entra como favorito na briga pela Stanley Cup 2014.

St. Louise Blues está em uma fase negativa, mas conta com o desempenho de Sobotka como ferramenta para ir bem nos playoffs. Um alerta feito por especialistas que acompanham o St. Louis Blues é que o time jogou suas últimas partidas sem seus jogadores mais importantes.

O Chicago, atuais campeões, são favoritos mais uma vez. O elenco deve ficar ainda mais forte com os retornos de Toews e Patrick Kane, que ficaram de fora dos jogos finais da temporada regular.

Anaheim Ducks x Dallas Stars
Mais um duelo que entra na lista dos 'sem franco favorito', embora possamos apontar os 'Patos' como o provável vencedor da série. Duas equipes que possuem ataques poderosos podem render bons jogos na série. Provavelmente, a série com o maior número de gols.

O tradicional Anaheim Ducks possui uma das melhores campanhas ofensivas da temporada regular. Liderado por Perry e Gestzlaf, o time possui uma forma de jogar que pressiona o adversário e cria inúmeras chances de gols todos os jogos.

Outra equipe tradicional de hóquei no gelo, o Dallas Stars estava a cinco anos sem aparecer nos playoffs. Com algumas mudanças significativas, inclusive de técnico, o time melhorou bastante e, curiosamente, também é um time que se destaca pela parte ofensiva.

San Jose Sharks x Los Angeles Kings
Um confronto que já ocorreu na temporada passada. Pode parecer clichê, mas este é mais um confronto que deve ser muito equilibrado. Eu apontaria leve favoritismo para o time de Los Angeles, mas pelo que apresentaram na temporada regular, os dois times têm potencial para avançar. Não seria uma zebra os 'tubarões' avançarem.

Na última temporada da NHL a série foi ao sétimo jogo e cinco jogos foram decididos pela diferença de um gol. Neste ano, os jogos também foram equilibrados e vencidos por pouca diferença. Quatro jogos terminaram com um gol de diferença para o vencedor, sendo dois decididos na 'prorrogação'.

O time de San José tem melhor aproveitamento nos pleyoffs e ofensivamente, mas no confronto direto, a vantagem para para Los Angeles.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

A grandeza da vitória do Atlético de Madri sobre o Barcelona

A eliminação do Barcelona para o Atlético de Madrid não se trata apenas de uma 'zebra'. Trata-se de um time que há décadas recebe muito menos dinheiro que o rival no campeonato nacional que disputam. É diferente de o Barcelona ser eliminado para um Arsenal, Milan ou Borussia, por exemplo, que são equipes 'mais fracas', mas que não tem a rixa pelo dinheiro da TV.

Em novembro, quando escrevi sobre o Atlético de Madrid, não esperava que os comandados de 'Cholo' Simeone chegariam tão longe, e ainda podem chegar mais longe ainda.

Mesmo os clubes mais fortes da Espanha, tirando Barça e Real, recebem até dez vezes menos que os dois gigantes, o que explica tamanha desproporção nas contratações e formação dos elencos. Caso houvesse uma distribuição mais justa, possivelmente não haveria um predomínio tão avassaladora.

Ano após ano, Real Madrid e Barcelona batem recorde em cima de recorde.

Desequilíbrio e até injustiça
Real Madrid e Barcelona conquistaram os últimos dez campeonatos espanhóis. Real tem 32 títulos nacionais e Barcelona 22. Todos os demais clubes juntos somam 28 títulos. Isso mostra a hegemonia dos milionários espanhóis. Desde 1997, apenas em 2002, nenhum dos dois gigantes terminaram nas duas primeiras posições.

Apesar de podermos considerar o Atlético como um grande clube europeu, em termos financeiro, não posso considerar o Atlético como grande rival do Real e nem do Barcelona. Não é como Corinthians e Palmeiras, Inter e Grêmio... Talvez para a torcida sim, mas em termos de equilíbrio, principalmente financeiro não.

Seria, na minha comparação, como a Portuguesa eliminar um Santos ou São Paulo da Libertadores. Por isso, acho que a vitória do Atlético de Madrid sobre o Barcelona na Champions League.

Para ter ideia de como o desnível financeiro é injusto, imagine como um time como Valência, Atlético de Madrid ou Athletic Bilbao vão conseguir montar grandes equipes, se sempre que revelam um bom jogador, Real ou Barcelona pode comprá-lo, enfraquecendo o rival. Muitas vezes até compram jovens jogadores, emprestam-no para outros clubes europeus e só integram o atleta em seu elenco um, dois ou três anos depois. Ou simplesmente, vendem o cara para outro time. Enfraquecem o adversário como querem.

segunda-feira, 24 de março de 2014

Clássico mostra Neymar mais perto de ser "novo Robinho"

Após o superclássico deste domingo, "Neymarzetes" precisam elaborar um discurso muito apurado para convencer alguém que Neymar tem um futebol que chegue perto de Messi,  Cristiano, Ibra ou outros grandes jogadores da atualidade (Iniesta, Fábregas e até Pedro). Não a toa os torcedores do Barcelona preferem Pedro a Neymar.

Quem ainda acha que Neymar foi razoável no jogo deste domingo precisa ler os principais diários e portais espanhóis. Ou realizar uma simples busca no twitter por #Neymar e será possível ler uma enxurrada de criticas ao atacante brasileiro em espanhol, inglês, russo...

Mais uma vez o atacante brasilero mostrou como ainda é medíocre. Perdeu gols (pelo menos dois) incríveis, no primeiro tempo. No segundo tempo continuou mal. Mesmo no lance do pênalti acho que ele foi mal. Se fosse o Messi ou o Cristiano no lance, a bola estaria nas redes antes dos defensores merengues chegarem perto.

As tentativas de drible do brasileiro rendeu inúmeros contra ataques ao Real Madrid. Além de não ser produtivo na frente, atrapalhou o time diversas vezes. Pode parecer repetitivo, mas Neymar, se continuar assim, vai sim ser um novo Robinho.

O que Neymar deve fazer
Na minha opinião, o pseudocraque (até provar o contrário) brasileiro chegou bem ao Barcelona e fez alguns bons jogos porque jogou o simples, fez o feijão com arroz. Tocava rapidamente, não fazia firulas, não tentava carregar a bola o campo todo, não tentava jogadas épicas.

Neymar fazendo o feijão com arroz é melhor que Pedro, pelo menos. Quando tenta realizar jogadas lendárias e sair driblando é um desastre. No Barcelona Neymar deveria se concentrar mais em ser um ajudador e não "a estrela", como tenta algumas vezes.

Enquanto Neymar for inflamado pela imprensa e torcida brasileira viverá à sombra dos verdadeiros astros do Barcelona, se tiver a humildade de se ver como um braço direito de Messi e evitar firulas desnecessárias, principalmente em jogos importantes, poderá ser considerado melhor que Pedro, pelo menos.

sexta-feira, 7 de março de 2014

Brasil pode pegar até quatro campeões mundiais até a Final da Copa

Até hoje, só a Argentina de Maradona levantou caneco após vencer quatro campeões do mundo. Para chegar à Final da Copa do Mundo 2014 a seleção brasileira provavelmente terá o caminho mais difícil na história de uma Copa do Mundo, isso porque a seleço de Felipão pode cruzar com até quatro campeões mundiais no caminho para o hexa, o que só ocorreu em 1986, quando o time liderado por Diego Maradona passou pela Itália, na primeira fase, Uruguai, Inglaterra e Alemanha.

Na Copa do Mundo de 70, o Brasil teve que passar por Uruguai, Inglaterra e Itália, um caminho cheio de pedras, mas que aquela seleção fez parecer fácil, ou pelo menos, não tão complicado. O jogo mais apertado foi contra os ingleses.

Outra campanha que vale ressaltar é a da Itália, campeã da Copa do Mundo em 1982. A Azurra passou pela Argentina, Brasil e Alemanha. Para conquistar a Copa do Mundo de 78, a Argentina enfrentou o Brasil (empate), Itália (derrota) e França (vitória), mas naquela época a França ainda não havia conquistado nenhum título.

Podemos ver que poucas vezes na história das Copas uma equipe chegou ao título tendo que enfrentar três ou quatro ex-campeões do mundo.

Para chegar até a Final da Copa do Mundo de 2014 o Brasil pode ter que passar pela Espanha (oitavas), Inglaterra, Uruguai ou Itália (quartas), França ou Alemanha (semifinal) e, na final,  Argentina, Itália, Uruguai ou Inglaterra (final).Sem falar que ainda há uma Holanda que deve vir nas oitavas ou até mesmo na final.

Temos equipe para isso?
A grande questão é: o time de Felipão está bem o suficiente para encarar esta maratona? Talvez para encarar uma ou duas dessas equipes, mas pegar uma sequência dessa acho que pode ser muito exigente para esta seleção brasileira.

E olha que para pegar uma sequência assim não é preciso nenhum grande azar. Basta as coisas caminharem naturalmente.

Por um lado, acho muito difícil que o Brasil conquiste este título. Por outro lado, se conquistar, não há como dizer que não foi merecido.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Lições de Sochi para hóquei

Os jogos olímpicos (de inverno) de Sochi foram muito mais interessantes do que eu poderia imaginar. Só acho que deveriam criar (como se fosse fácil) mais esportes coletivos de confronto "equipe x equipe', como o hóquei, ou futebol, basquete, vôlei... no único esporte de inverno deste tipo, não faltaram emoções e surpresas, o que me fizeram gostar ainda mais do esporte.

Além do hóquei no gelo, o único esporte de confronto entre equipes foi o curling, mas que é mais um jogo de estratégia do que de confronto físico. Os demais esportes de inverno são baseados em desempenho individual ou 'sem confronto direto', como o skeleton, bobsled, patinação... 

Talvez, por ser o único esporte deste estilo de equipes que se enfrentam, o hóquei parece ser a grande estrela dos jogos de inverno. Não que os demais esportes não sejam divertidos, mas é o que reserva mais emoções, e o que leva os torcedores a torcerem por sua equipe de forma mais vibrante.

Evidente que, morando no Brasil, não é consigo analisar e acompanhar o hóquei no gelo como eu gostaria, mas com ajuda da internet tenho obtido bastante informações sobre o esporte e pude perceber algumas coisas interessantes. Algumas técnicas e primícias do hóquei no gelo até poderiam ser adaptadas ao futebol. 

Ao fim dos jogos de inverno de Sochi 2014, pude perceber o que pode fazer uma equipe melhor que a outra e o que levou Canadá e Suécia à Final. Algumas equipes da NHL poderiam se inspirar nestas seleções para melhorarem seu desempenho na competição de hóquei no gelo mais importante do mundo.

Velocidade
As finalistas de Sochi realizaram jogos de extrema velocidade, controlando o puck e dominando as ações do jogo em alta velocidade. Patinadores rápidos e em boa forma deram ao Canadá e à Suécia certa vantagem contra adversários de alta qualidade, como Estados Unidos e Finlândia.

Analisando com os times da NHL podemos perceber que as equipes que vêm predominando a competição nos últimos anos também possuem essa característica. Os times de Chicago Blackhawks e Anaheim Ducks, pelo o que percebo, são times que sempre jogam em um nível de velocidade muito alto e transformam o jogo em uma verdadeira correria. Gosto de assistir aos jogos destas equipes porque sempre são jogos emocionantes (aliás, nunca vi um jogo de hóquei chato).

Assim como no futebol de salão, futsal, o hóquei no gelo é disputado em uma quadra relativamente curta, e a velocidade é essencial, assim como saber fazer a transição da defesa para o ataque.

Até poderia citar o Montreal Canadiens, que é um time de categoria, mas que, para mim, que sou leigo, é um time ainda sem força física o suficiente para chegar às finais de conferência. nos playoffs, essa falta de força física fica bem evidente.

Posse de Puck
Assim como no futebol, possuir maior posse de puck tem sido cada vez mais necessário para as grandes equipes vencerem os confrontos mais difíceis. O Canadá fez isso muito bem e conseguiu chegar ao ouro com todo merecimento. Ao ver os jogos do time canadense de hóquei no gelo você logo percebe que dificilmente eles perderão a partida.

Defesa e Zona Neutra
Há fãs de futebol que acham absurdo falar em organizar um time a partir da defesa. "O importante é ter ataque. Podemos levar 3 e fazer 5", defendem, mas o curioso é que em todos os demais esportes coletivos, principalmente nos Estados Unidos, a ordem é ter uma defesa forte em primeiro lugar.

E o mais curioso ainda é que as equipes de basquete, futebol americano ou hóquei no gelo que priorizam manter uma defesa forte são as que dão 'show' em quadra e nos campos. Alguém acho que o basquete masculino dos Estados Unidos não dão show, já que priorizam a defesa? Da mesma forma a seleção canadense de hóquei no gelo entrou na competição pensando em ter a melhor defesa. Foi isso que fizeram, saíram campeões a ainda deram show.

Defesa e zona neutra (área entre defesa e ataque) foram prioridade para o time canadense, assim como os grandes times da NHL precisam dominar a defesa e a zona neutra para chegarem longe.

Hóquei e futebol
Em outro dia escrevo um texto exclusivo de comparação entre o hóquei no gelo e futebol, por hoje quero ressaltar como a mentalidade do 'país do futebol', que na verdade é o país da novela, de se alienar em um único esporte nos faz perder muitos outros esportes emocionantes e menos obscuros.

Hóquei no gelo, futebol americano tênis... são alguns exemplos de esporte que nos apaixonam quando começamos a acompanhar. A vantagem do hóquei no gelo é que o esporte é corrido e cheio de reviravoltas. Não tem momentos de chatice ou monotonia. A única desvantagem é a dificuldade em acompanhar o esporte. faço isso vendo alguns jogos pela ESPN, pela internet (site Stopstream) e pelo site oficial da NHL, que também cobre jogos internacionais e olímpicos.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Rússia bolou a tabela perfeita, só não contava com a Finlândia

Assim com todo evento esportivo, os donos da casa bolaram a tabela perfeita (para si), colocando possíveis cruzamentos de equipes fortes de um lado da chave e salvando-se em outro lado, cruzando com equipes menos fortes. Refiro-me à tabela do hóquei masculino nos Jogos de Inverno de Sochi 2014.

Prevendo Canadá e Estados Unidos como principais forças da competição, a tabela foi planejada para que, se ocorresse tudo como esperado, uma das semifinais fosse entre as seleções da América do Norte, e a outra entre Rússia e outra equipe qualquer. As seleções americanas fizeram sua parte, o problema foi que a Rússia decepcionou e acabou sendo batida pela Finlândia nas quartas de final do torneio.

A derrota foi uma surpresa geral, não apenas para russos, pois em jogo da primeira fase, a Rússia havia empatado com os Estados Unidos (perdeu no shoutout), mas mostrou força para jogar de igual com os Yankees. Do outro lado, a Finlândia, que já não seria favorita, ainda tinha alguns desfalques, e ninguém apostava numa vitória finlandesa.

Se tivesse vencido, a Rússia enfrentaria a Suécia na semifinal, e uma vitória dos russos seria bem mais provável do que se os donos da casa pegassem Canadá ou Estados Unidos. Ao fim do jogo, a estrela do time russo, Ovechkin, só pôde dizer "It socks".

Motivos
Uma crítica que se fazia antes dos jogos de inverno de Sochi 2041 era que o time russo não tinha um ataque eficiente, apesar de contar com um dos melhores jogadores de linha da NHL, Ovechkin já marcou mais de 40 gols na melhor liga de hóquei do mundo.

No torneio, os russos vinham tendo um bom desempenho ofensivo, mas contra a Finlândia voltou a mostrar suas debilidades e não conseguiu realizar um bom jogo.

Do outro lado, a estrela do Boston Bruins, o goleiro Tukka Rask, fez mais uma partida brilhante e mostrou todo o seu poder de parar ataques fortes. Muitos acreditavam que Rask não teria um bom desempenho sem uma defesa forte, como é a de seu time de Boston, mas o goleiro finlandês realizou mais um jogo brilhante.

Foi difícil achar um vídeo com os gols, pois os direitos de imagem impedem que os membros do Youtube compartilhem os gols do jogo no site, mas achei este vídeo de baixa qualidade. No entanto, se preferir ver os gols do jogo entre Rússia e Finlândia em alta qualidade. Veja no site da CBS.





segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Jonas é melhor que Damião, Jô, Robinho...

Parece que o único atacante da seleção brasileira que tem potencial para ajudar o o Brasil a vencer a Copa é o tricolor Fred. Para Felipão, e maioria dos brasileiros, Fred é a única opção entre razoáel e bom para o ataque do Brasil para a Copa de 2014. Outras opções como Jô, Damião e até Robinho mostram que o nível (para baixo) dos atacantes brasileiros está em um nível como não se via desde o início dos anos 90.

Lembro me de cabeça, portanto posso estar me enganando, que desde a formação da dupla Romário e Bebeto (93-94), o Brasil sempre teve dois ou três bons atacantes brigando pela posição. A convocação da seleção apresentava sempre duas ou três opções de alto nível: Romário, Bebeto, Ronaldo, Edmundo, Élber, Anderson, Adriano, Robinho...

Atualmente vivemos m período oposto. Eu nuca imaginaria que o Brasil passaria por uma fase de vacas gordas na defesa e vacas magras no ataque. E se o Fred ficar de fora da Copa? Quem fica em seu lugar? Vale lembrar que o cara nem era cogitado há três ou qatro anos. Voltou à seleção, com todos os méritos, e se tornou a grande aposta para o ataque da seleção canarinho.

Outros testados em sua posição não se tornaram unanimidades. Jô, Robinho, Leandro Damião e até Alexandre Pato foram lembrados e testados. Seria exagero dizer que fracassaram, mas garanto que nenhum deles teria espaço em nenhuma seleção brasileira entre 94 e 2010.

Injustiças
Para mim muitas injustiças foram feitas nos últimos quatro ou cinco anos na seleção brasileira. O que, na minha opinião, reforçam minhas suspeitas que muitos jogadores são escalados ou deixam de ser convocados dependendo de interesses de agentes, cartolas, treinadores e acionistas, enfim...

Posso citar o goleiro Fábio, a insistência no Pato, mesmo quando ele estava em baixa e para concluir meu pensamento, o atacante Jonas, atualmente no Valência.

Basta pegar algumas estatísticas do jogador na liga espanhola para ver que, além de centro-avante, é um ótimo passador. Deu inúmeras assistências para Soldado, quando o espanhol ainda estava no Valência.

Não consigo crer que Jô ou Robinho sejam melhores que Jonas. Leandro Damião ainda é opção para a Copa, mas não se ouve falar em Jonas, atacante estável e com boas qualdiades "pelo chão", no jogo aéreo e na movimentação. Ainda arrisco dizer que se tivesse sendo convocado nos últimos anos, como Fred, diputaria a vaga de titular com o atleta do Fluminense.

Em um próximo artigo sobre futebol foi tentar montar uma seleção dos 'injustiçados', pelo menos na minha visão.

domingo, 19 de janeiro de 2014

Copa de 2014 tem mesmos erros da Copa de 50

Em matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo, fica claro como o Brasil continua com políticos e cartolas incompetentes e corruptos.

Segue o PDF da página, mas se preferir você pode acessar no Scribd.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

NFL tem mais emoção que muito jogo de futebol

futebol americano
Mais uma vez, venho comparar esportes não populares no Brasil com aqueles sem tantos adeptos.. Gosto muito do hóquei no gelo e da NBA, mas infelizmente os jogos costumam ser muito tardes e no meio de semana. Também sou fã de esportes no gelo, tênis e até golfe. Hoje quero falar do futebol americano, para fazer um 'mea-culpa', pois sempre achei um esporte chato e sem graça, mas neste ano vi que é exatamente o contrário e tem a vantagem e passarem em horários mais propícios.

O maior problema para quem não tem TV a cabo é falta de opções, pois os canais abertos só transmitem futebol e perdemos a oportunidade de conhecer as emoções de outros esportes; isso, para mim, explica muito o desempenho pífio do país ano após ano nas Olimpíadas e outras competições esportivas, pois vivemos de talentos isolados que conquistam tudo sozinho sem o menor apoio do governo e da imprensa, mas isso é assunto para outro post. Vamos falar de futebol americano.

O grande desafio quando começamos a acompanhar qualquer outro esporte é entender as regras, mas eu nunca me preocupo com isso. A ideia é relaxar e assistir aos jogos e ir aprendendo no decorrer das partidas. A vantagem de acompanhar pela ESPN é que os comentaristas, não apenas da NFL, mas de todos os esportes, explicam muito bem as regras, detalhes, estatísticas, explicam quem é quem, relembram histórias e isso enriquece a transmissão.

Ao contrário do que ocorre em muitos esportes, o futebol americano é muito dinâmico, característica que tornam o hóquei no gelo muito atraente para mim. O jogo não tem enrolação e o tempo corrido força os times a acelerarem o ritmo de jogo.

A NFL, liga norte-americana de futebol americano, já está em suas fases decisivas, playoffs, e os jogos são ainda mais disputados e emocionantes. Se você nunca acompanhou um jogo da NFL, agora é a hora. Os jogos costumam ser transmitidos pela ESPN Internacional nos finais de semana a partir das 18h, mas basta consultar a grade de programação do canal para ver tudo.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Jogos em Brasília para tentar mascarar elefante branco são ridículos

A tentativa da Confederação Brasileira de Futebol de não deixar o estádio de Brasília virar um elefante branco é ridícula, o cúmulo do amadorismo, da incompetência, da burrice, da 'trambicagem', de tudo de ruim.

Em primeiro lugar porque o estádio já está uma bosta. Se não houvessem alternativas no Rio e o gramado em Brasília fosse um tapeta, eu até fingiria que entendo, mas não dá pra engolir esses jogos em um campo de merda em um estádio construído para atender vaidades políticas, assim como o de Itaquera e a escolha recente de Belô como a 'casa da seleção'.

Fazer de Brasília uma das sedes da Copa é ridículo. É claro que este estádio de 'primeiro mundo' vai virar um elefante branco'. Aí, a CBF, para tentar justificar a construção (e reforma) do Mané Garrincha fica levando um monte de jogo mequetrefe pra lá.

A teoria é que esses jogos atrairiam maior público, mas o que temos visto não é isso. O público nos jogos da capital do país atrai a mesma média ridícula dos demais jogos, sem falar que a confusão no jogo entre Vasco e Corinthians mostrou que nem por questão de segurança esses jogos são justificáveis.

Isso sem falar dos estádios em Manaus, Cuiabá e Natal, com todo respeito ao povo potiguar, mas o estado não possui times para manter um estádio de alto custo. Provavelmente vão virar arenas de shows ridículos e palco de jogos exdrúxulos. Em Brasília, devem ocorrer milhares de jogos 'estranhos' por ano, como amistosos da seleção e jogos 'nada a ver' do Brasileirão. Mas em Manaus, Cuiabá e Natal nem isso deve acontecer.


Leia Também

Os internautas também curtiram